Resenha: Tenebris, Erika Gomes

tenebrisLúcifer há muito não é “aquele que traz a aurora”, como seu nome sugere. Desde que liderou a rebelião contra seu Criador foi condenado a Sheol, o inferno, onde instaurou seu próprio reinado. Muitos o seguiram, porque acreditaram nele. Tornaram-se seus serviçais ou aliados. No entanto, Lúcifer se sente sozinho e cansado de sua existência. Depois de trai-Lo, sente falta de Deus, da essência divina, de uma razão verdadeira para a sua vida. Seria possível, um dia, a Ele retornar? Agora conhecido como Heylel, é na Terra que Lúcifer encontra alguém que mudaria seus sentimentos. Anna, uma bela mulher, ensinou-lhe o amor e presenteou-o com uma filha. Heylel amou ambas com todo o seu coração. Mas nem sempre é possível viver o que se deseja. Heylel não é humano e sua essência desvirtuada já não é divina. Ele é o Senhor de Sheol e seus demônios não estão contentes com a passividade de seu líder. Uma guerra se aproxima e Heylel precisará envolver nela seu bem mais precioso: sua família.

Até mesmo o Diabo pode surpreender!

Hoje eu vou falar do livro Tenebris, da autora Erika Gomes. E gente como fiquei surpreendida, sabe são poucos livros nacionais que me deixam de boca aberta, literalmente. Vou falar um pouco do livro.

“Inexplicável é o momento em que o bem e o mal deixarão de ser o que todos aqui pensaram.”

Tenebris conta a história de Lauren, uma “típica” adolescente de 17 anos que odeia acordar cedo, mas desde pequena ela tem sonhos estranhos, e a habilidade de ver e falar com estranhas criaturas que mais ninguém consegue enxergar. Para algumas pessoas ela seria decretada como louca, mas há um motivo para isso.

Foto 23-02-2018 10 09 38

“Para Lauren, o anoitecer trazia consigo uma estranha vontade de conquistar o mundo, sair sem destino em busca de tudo e nada ao mesmo tempo, perder-se em lugares desconhecidos, deparar-se com novas pessoas e situações…”

Para aqueles que vê Lauren, ela parece ter uma família “normal”, a não ser pelo fato de ser adotada. Mais até ai tudo bem, sua mãe Ana é uma pessoa muito carinhosa e seu pai Robert é um pastor, que de acordo com Lauren, tenta tanto salvar os outros que negligencia sua própria família. E apesar dela não ter muitos amigos, Lauren não se sente sozinha, pois assim como qualquer garota ela tem seu melhor amigo, Gabriel, eles são praticamente inseparáveis.

“Com Gabriel as coisas eram fáceis, sem pressão, as conversas fluíam de forma natural e os dois pareciam se encaixar como peças defeituosas que nunca completariam um quebra-cabeças.”

Um dia Lauren acorda dispostas e resolve passear no bosque, lá ela conhece uma menina chamada Elida, um ser da natureza com a forma de uma garotinha. Ela revela a Lauren que na verdade seu nome é Naiara, filha de Heylel, ou devo dizer Lúcifer, e herdeira de Sheol. Essa notícia vira o mundo dela do avesso, principalmente para alguém que foi criada a base da religião, e ouvira coisas assustadoras sobre Ele.

Incrédula com essa revelação, Lauren resolve invocar seu pai com a ajuda de seu amigo Gabriel, que não pareceu chocado com sua revelação dos acontecimentos. Ela precisa descobrir como seu verdadeiro pai é, já que todos possuem sua própria visão do diabo, e ela precisa saber como ele realmente é. Agora imagine só o choque dela quando descobre que Heylel não é como ela imaginava, assim como o próprio inferno.

“Parecia natural, predestinada a acontecer, como se fossem desenhados um para o outro, e isso era confortável e confiável”

Em Sheol uma rebelião está prestes a começar, e os caídos não acreditam mais que Heylel seja capaz de comandar o inferno. Agora Belial quer tomar o lugar de Lúcifer e com isso invadir a Terra, agora Lauren precisa ajudar seu pai e para isso ela precisa controlar sua humanidade, assim como aprender a usar seus poderes, para lutar ao seu lado nessa batalha.

“Às vezes, as pessoas que amamos precisam do nosso pior lado para serem defendidas”

Foto 23-02-2018 10 13 08

Preciso falar que estou apaixonada?

Sim preciso. Gente nunca pensei em me apaixonar por um livro nacional de novo e esse com certeza me fez redescobrir o que é o amor, gente que livro é esse. Erika nos apresenta um mundo completamente diferente uma realidade totalmente nova com uma historia inovadora, e  muito bem desenvolvida com uma linguagem fluída que me prendeu do começo ao fim. E com personagens extremamente cativantes, Heylel realmente me encantou, no livro vemos um lado do próprio Lúcifer que ninguém jamais imaginou. E nos faz questionar e se ele realmente pudesse amar?

“- Levantando acampamento pessoal. – Azazyel puxou sua mochila pela alça e com a outra mão pegou a mochila de Heylel, jogando para ele que a pegou no ar.
– Após séculos de existência me pego viajando e  acampando com crianças.
– É meu caro, quem diria, Lúcifer o primeiro caído, carregando mochilas e acampamento em meio ao Sheol.
– Pois é Azazyel, precisamos mesmo rever nosso estilo de vida.”

Outro personagem que se mostrou incrível foi Lauren, gente pense numa guria forte, e apesar de suas crises de menina birrenta ela se mostrou muito destemida. Descobrir que seu pai é o próprio Diabo, não é fácil. Assim como descobrir que você é a herdeira do inferno e sua mãe é uma das bruxas mais poderosas, ela está de parabéns. Amei Agares desde o primeira aparição no livro gente ele me encantou, um demônio com a beleza de um anjo, me arrebatando gente.

“Ele levantou a cabeça e a encarou. Naiara se surpreendeu com o que encontrou: os olhos de Agares não tinham mais a cor azul, estavam completamente pretos . Não havia sequer um resquício de outra cor e, por mais estranho que parecesse,  ela não se assustou. Levantou a mão e tocou o rosto dele, acariciando sua bochecha ainda o observando.
– Não dava para ser perfeito, né? – Sorriu, ele ainda a olhava tentando se conter.
– Não tem medo? – perguntou incrédito.
– Medo de quê? Você me completa, Agares. É como… como se eu fosse somente metade de mim e, quando você me toca… me torno inteira, única.”

Gente amei muito esses dois juntos, eram perfeitos, mais gente o desenrolar se tornou ainda mais incrível e tentador. Por mais que Naiara tivesse escolhido e se apaixonado por Agares por sua escolha, Yekun não tinha. Ele era a outra metade de Naiara e por mais que ela resistisse a isso era incrível como o caído a complementava de todas as formas. Eu torci muito por Agares mais Yekun ganhou meu coração. E adorei que Agares também encontrou alguém que o entendesse.

“- Queria ser divida em duas. – Ela disse baixinho contendo o choro.
– Prefiro lhe ver nos braços de outro inteira, do que imaginar você se partindo ao meio. – Ele a apertou ainda mais.”

Estou muito encantada com o livro de diversas formas e super recomendo a vocês. Esquecem o preconceito, esse livro cativa o leitor com o temas como amor, segundas chances e livre arbítrio.

“Como pode duvidar do que o amor é capaz de fazer? Acaso não foi o amor que mudou e tocou seu ser, onde nenhum outro sentimento jamais tocou?”

Não deixem o fato do livro ser focado em Heylel “Lúcifer” limitar você, você iria se surpreender com essa história maravilhosa. A autora merece um enorme PARABÉNS, ela soube criar um romance cheio de magia, com uma mistura de ação e aventura. Focando em como o amor pode mudar alguém e mostrando que todos merecem um recomeço.

“Amar não é leviano. Esse sentimento é único e só nos acontece uma vez, não importa por quanto tempo viva.”

Olha eu ainda estou com o coração a mil, com essa história envolvente, ainda estou com gostinho de quero mais, Tenebris faz você mergulhar em um mundo completamente novo.

“Ele censurou num sussurro, puxando-a ainda mais para os seus braços. Seus dedos deslizavam sobre os fios lisos e negros dela, acariciando, cuidando… Ela não lutou mais, permitiu-se aconchegar nos braços do rapaz que a embalava e dormiu.”

caos png

Anúncios

6 comentários Adicione o seu

  1. Sabe a noite parece me chamar também. Eu prefiro fazer tudo a noite parece que quando anoitece eu me sinto desperta.

    Curtido por 2 pessoas

  2. geilsolimeira disse:

    Que historia fantástica. Fiquei facinado.

    Curtido por 1 pessoa

  3. geilsolimeira disse:

    historia incrivelmente interessante.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Priscila Salgado disse:

    O anoitecer trazia consigo uma estranha vontade de conquistar o mundo, sair sem destino em busca de tudo e nada ao mesmo tempo, perder-se em lugares desconhecidos, deparar-se com novas pessoas e situações…” Meu Deus, descreveu exatamente como sou e tenho me sentido há anos. E eh só d madrugada q consigo isso, pq td parece diferente e q eu pertenço à noite.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s